Paraná tem início do plantio de soja mais rápido da história

segunda-feira, Setembro 24, 2018

A boa umidade no solo, devido às chuvas de agosto e setembro, tem permitido um rápido avanço no plantio da safra 2018/2019 de soja no Paraná. De acordo com a consultoria AgRural, até quinta-feira, dia 20, 11,2% da área já estava semeada no estado, contra 1,7% no ano passado e 1,9% na média de cinco anos. Este é o início de plantio mais rápido já registrado no histórico da AgRural para o estado.

A Consultoria indica que se tudo continuar caminhando bem, o Paraná poderá colher soja já a partir do início de janeiro, período em que os preços pagos pela soja costumam ser mais altos devido à escassez do grão no mercado disponível.

Os trabalhos de campo estão mais adiantados na região oeste, onde 48% da área já está semeada. O ritmo só não é mais forte porque as chuvas da semana anterior colocaram freio ao avanço das plantadeiras. No norte do estado, o plantio já teve início e deve se intensificar na virada do mês.

Centro-Oeste

Em Mato Grosso, com o fim do vazio sanitário, vieram as primeiras chuvas e também o início do plantio, que neste momento se concentra nas regiões oeste e norte e está feito em 0,6% da área de soja do estado.

No oeste, como é tradicional, as primeiras áreas semeadas são aquelas que receberão algodão na segunda safra. No norte, as chuvas ainda são bem irregulares, mas já levaram grandes produtores a entrar em campo com as plantadeiras.

Em Mato Grosso do Sul, algumas áreas pontuais já foram semeadas no norte, para dar espaço mais adiante à segunda safra de algodão. Mas o ritmo ainda é tímido e apenas 0,1% da área do estado está plantada. Também já há plantio em Rondônia, onde 1,5% da área está semeada.

Brasil

Com esses resultados estaduais, a área de soja plantada no Brasil chegou na quinta-feira, 20, a 1,9%. Um ano atrás, o plantio estava em 0,3% – mesmo índice da média de cinco anos.

Área

A consultoria revisou sua estimativa de intenção de plantio de soja na safra 2018/2019 do Brasil, que está começando a ser semeada. Estimada em 35,691 milhões de hectares em agosto, a área foi elevada agora em setembro para 35,804 milhões de hectares. Isso representa um avanço de 1,9% sobre os 35,149 milhões de hectares da safra anterior. Quem puxa o aumento de área é a região Norte e Nordeste, onde a oleaginosa deve ganhar 311 mil hectares em relação ao ano passado.

Tomando como base, a linha de tendência de produtividade, a nova estimativa de área resulta em produção potencial de 120,3 milhões de toneladas – 1 milhão de toneladas acima do recorde de 119,3 milhões de toneladas da safra 2017/2018.

O aumento de área é efeito dos bons resultados de produtividade e rentabilidade da safra 2017/2018 e da expectativa, por parte dos produtores, de preços atraentes em reais. A queda dos preços em dólar, que dificulta o avanço dos negócios antecipados em parte do Cerrado, e a nova tabela do frete rodoviário, contudo, limitam a expansão da área de soja. A decisão de alguns produtores de plantar mais milho na primeira safra é outro fator que impede um avanço maior da oleaginosa.

 



Share