Drones na Agricultura

quarta-feira, Novembro 16, 2016

 

Os drones, que eram utilizandos a um tempo atrás somente por militares em campos de batalha para espionagem ou artilharia, hoje tem um papel muito menos letal e muito mais benéfico para a sociedade na agricultura.
 
Do termo em inglês “zangão”, o drone ou Vant (Veículo aéreo não tripulado) é uma aeronave que não necessita de pilotos embarcados para ser guiada.
Este tipo de aeronave é controlado à distância por meios eletrônicos e computacionais, sob a supervisão de humanos, ou mesmo sem a sua intervenção, por meio de Controladores Lógicos Programáveis (CLP).
 
Além do uso militar, os drones são utilizados por civis, como por exemplo por fotógrafos e cinegrafistas em festas de aniversários, casamentos ou eventos, por amantes de tecnologia e na agricultura.
 
O seu uso na agricultura é amplo, abrange tanto a AP (Agricultura de Precisão) quanto a agricultura convencional, onde é utilizado para examinar culturas dando um amplo campo de visão para o produtor ou agrônomo e possibilitando chegar onde não é possível ir pelo solo ou mesmo rendendo trabalho outrora árduo de análise visual em larga escala da cultura em campo, visto que fornece imagens de alta qualidade de milhares de km em poucas horas.
 
Os drones também podem ser utilizados para sobrevoar áreas de interesse de arrendamento, demarcar áreas de plantio, descobrir onde abrir estradas, achar focos de incêndio, monitorar desmatamento, entre outros usos na agricultura convencional.
 
Já na Agricultura de Precisão, os drones são utilizados para gerar imagens aéreas com sensores infravermelhos e sistemas de GIS, que permitem analisar a saúde das plantas e auxiliar na tomada de decisão do produtor.
 
Podemos citar outras funções, como realizar a topografia do terreno, criando mapas que permitem mensurar a área, dividir talhões e planejar escoamento da água da chuva, realizar telemetria e medir propriedades usando imagens de alta qualidade.
 
Alguns modelos mais avançados permitem acompanhar o desenvolvimento da safra, através de um piloto que sobrevoa a plantação com uma frequência programável e capta imagens que são armazenadas cronologicamente para futura análise.
 
Outra função incrível é a criação de mapas de falhas de plantio.
 
Alguns protótipos ainda realizam a pulverização com até 18L de químicos e são recomendados pela proximidade do drone com o solo, mas se são ou não viáveis pelo alto preço e baixa capacidade operacional cabe ao produtor calcular e decidir.
 
Segundo a Droneng, “O mapeamento aéreo com drones é mais uma tecnologia que otimiza a ação do produtor ou do agrônomo em campo. Fazendo uma analogia, o drone é como um raio-x para um médico: ele identifica os problemas, quais as suas dimensões e qual a sua localização no campo. De posse deste mapa da lavoura, o agrônomo ou produtor vai até o campo visitar as áreas que estão com problemas para verificar quais sãos as causas e prescrever as ações necessárias.”
 
E ai, curtiu? Então compartilhe com seus amigos e curta nossa página no Facebook, até mais!
 
MINAS VERDE JOHN DEERE SEMPRE AO SEU LADO!
 


Share