Café

segunda-feira, Julho 31, 2017

As cotações futuras do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) operam com leve alta nesta manhã de segunda-feira (31) e estendem os ganhos registrados da última sexta-feira. O mercado segue tendo suporte do câmbio e informações sobre danos nas lavouras brasileiras com relatos de broca. Na semana passada, a commodity teve ganhos próximos de 1%.

 

Por volta das 09h20 (horário de Brasília), o contrato setembro/17, referência de mercado, estava cotado a 138,15 cents/lb com valorização de 30 pontos, o dezembro/17 subia 40 pontos, a 141,80 cents/lb. Já o contrato março/18 operava com alta de 20 pontos e estava sendo negociado a 145,15 cents/lb e o maio/18 avançava 40 pontos e estava cotado a 147,60 cents/lb.

 

Para o analista e vice-presidente da Price Futures Group, Jack Scoville, os gráficos diários do mercado do arábica mostram que os preços poderiam subir ainda mais, mas agora as tendências são mistas. "Os preços têm a chance de operarem em 140,00 cents/lb no vencimento setembro/17 nas próximas semanas", acrescentou o analista em relatório na última sexta.

 

No Brasil, por volta das 09h25, o tipo 6 duro era negociado a R$460,00 a saca de 60 kg em Espírito Santo do Pinhal (SP) – estável, em Guaxupé (MG) os preços também seguiam estáveis a R$ 470,00 a saca e em Poços de Caldas (MG) estava sendo cotado a R$ 460,00 a saca. Os negócios seguem acontecendo de forma isolada nas praças de comercialização do Brasil.

 

Mercado interno

Os negócios com café seguem acontecendo de forma lenta nas praças de comercialização do Brasil mesmo com o avanço da colheita. De acordo com reporte recente do Cepea (Centro de Estados Avançados em Economia Aplicada, da Esalq/USP), a retração de compradores e vendedores mantém liquidez baixa no mercado. "O clima mais frio tem atrasado o beneficiamento dos grãos, principalmente a secagem, limitando a oferta no mercado físico. Além disso, muitos produtores estão concentrados nas entregas futuras, em detrimento das negociações no spot, cenário que também tem travado as negociações do arábica", disse o Centro.

 

No fechamento semanal, o balanço foi positivo nos preços nas praças de comercialização verificadas pelo Notícias Agrícolas.

 

O tipo cereja descascado anotou maior variação na semana em Patrocínio (MG) com queda de 3,09% (+R$ 15,00) e saca a R$ 470,00 a saca. Guaxupé (MG) teve o maior valor de negociação dentre as praças no período com R$ 515,00 a saca e alta acumulada de 1,98% (+R$ 10,00).

 

No tipo 4/5, a maior variação na semana foi registrada em Varginha (MG) com valorização de 3,23% (+R$ 15,00) e saca a R$ 480,00. A localidade de Franca (SP) teve o maior valor de negociação no fechamento da semana com saca a R$ 500,00 e alta de 2,04% (+R$ 10,00).

 

O tipo 6 duro teve maior oscilação na semana em Varginha (MG) com alta de 3,26% (+R$ 15,00). A cidade de Franca (SP) teve a cotação mais alta no fechamento da semana com R$ 480,00 a saca e alta de 2,13% (+R$ 10,00) no período.

 

Na quinta-feira (27), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, teve a saca de 60 kg cotada a R$ 458,84 e queda de 1,38%.

 

MINAS VERDE JOHN DEERE SEMPRE AO SEU LADO!



Share